Preview only show first 10 pages with watermark. For full document please download

Solidworks 3

Apostilas de soldworks

   EMBED

  • Rating

  • Date

    December 2018
  • Size

    1.4MB
  • Views

    5,294
  • Categories


Share

Transcript

Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Componente a Montar (exemplo): @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 2 Esboço para o Cut Feature  O esboço é composto por duas curvas:  O comando Convert Entities cria a curva exterior;  O comando Offset Entities cria a curva interior.  Em vez das fronteiras serem desenhadas, são copiadas a partir da geometria existente.  Esta técnica é:    Fácil e rápida – seleccionar a face e clicar na ferramenta; Exacta – as entidades do esboço são “clonadas/decalcadas” directamente da geometria existente; Inteligente – se o corpo muda de forma, o esboço é automaticamente actualizado. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 3 Converter Entidades  Copiar uma, ou mais curvas, para o esboço actual, pela sua projecção no plano do esboço (na direcção normal a este plano).  As curvas podem ser:   Arestas ou contornos de faces; Entidades de outros esboços (visíveis).  Fácil e rápida: 1. 2. @2009 JST/JOF Seleccionar a face ou a(s) curva/aresta(s); Clicar na ferramenta. CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 4 Criar a curva exterior: 1. Seleccionar o plano/face para o esboço; 2. Abrir um novo esboço; 3. Seleccionar a face ou as curvas a converter; 4. Clicar no botão Convert Entities na barra de ferramentas Sketch; @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 5 Criar a curva exterior: 5. As arestas exteriores (seleccionadas) da face são copiadas para o esboço actual; 6. O esboço está totalmente definido – não são necessárias dimensões nem relações geométricas. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 6 Criar a curva interior: 1. Clicar no botão Offset Entities na barra de (Offset Entities) @2009 JST/JOF (PropertyManager) ferramentas Sketch (é aberto o diálogo PropertyManager); 2. Seleccionar uma das entidades convertidas; 3. Mover o cursor para o interior das entidades convertidas. CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 7 Criar a curva interior: 4. O sistema gera uma previsão do resultado. Se a opção Chain estiver activa, o offset é realizado para todo o contorno. 5. Digitar o valor da distância. O cursor não necessita de estar no interior do diálogo PropertyManager. 6. Clicar na tecla Enter. Tal actualiza a previsão do resultado de forma a reflectir a distância (verificar sentido). @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 8 Criar a curva interior: 7. Carregar outra vez em ENTER (ou clicar em OK) para completar o comando.  O esboço resultante está totalmente definido.  Apenas existe necessidade de uma dimensão para controlar o offset. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 9 Montagem a realizar (exemplo):  Utilização de dois componentes: @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 10 Fundamentos para Conjuntos  Um conjunto (assembly) contém dois ou mais componentes (parts);  As Mates são as relações que alinham e ajustam os componentes num conjunto;  Os componentes e os respectivos conjuntos estão relacionados por ligação aos seus ficheiros:   Alterações nos componentes afectam os conjuntos; Alterações nos conjuntos podem afectar os componentes (caso de criação da peça em Assembly com “convert” de outra peça). @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 11 Criar um Conjunto: 1. Iniciar um documento modelo de conjunto (assembly); 2. Abrir os componentes; 3. Dividir a área gráfica com os documentos abertos; @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 12 Criar um Conjunto: 4. Arrastar e largar os ícones de cada componente no documento do conjunto. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 13 Fundamentos de Conjuntos  O primeiro componente inserido num conjunto     fica fixo (Fix); Um componente fixo não se pode mover; Para mover um componente fixo deve-se em primeiro lugar torná-lo móvel (Float); Um componente fixo aparece na árvore FeatureManager do conjunto com o símbolo (f); Os componentes que apresentam, na mesma árvore, o símbolo (-) significa que ainda existem graus de liberdade nesse componente. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 14 Manipulação de Componentes  O comando Move Component desloca (move) o componente seleccionado de acordo com os graus de liberdade disponíveis. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 15 Manipulação de Componentes  O comando Rotate Component roda o componente seleccionado de acordo com os graus de liberdade disponíveis. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 16 6 Graus de Liberdade  Os graus de liberdade designam como um componente se pode mover livremente.  Movimento de translação segundo os eixos X, Y, e Z.  Rotações em torno dos eixos X, Y, e Z. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 17 Relações de Mate (montagem)  As relações de Mate alinham e ajustam os componentes num conjunto.  O exemplo seguinte requer três relações de Mate de forma a defini-lo completamente. Os três Mates são, por exemplo: 1. Coincidência entre arestas Arestas Tutor1 Tutor2 @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 18 Relações de Mate 2. Coincidência entre faces 3. Coincidência entre faces @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 19 Mates e Graus de Liberdade  O primeiro Mate remove todos os graus de liberdade a menos de dois: 1. 2. @2009 JST/JOF Movimento linear ao longo da aresta; Rotação em torno da aresta. CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 20 Mates e Graus de Liberdade  O segundo Mate remove mais um grau de liberdade (movimento linear). O que resta é a rotação em torno da aresta. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 21 Mates e Graus de Liberdade  O terceiro Mate retira o último grau de liberdade.  O conjunto está agora totalmente definido. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 22 Outras Relações de Mate  Exemplo a considerar:   Uma placa; 2 parafusos. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 23 Outras Relações de Mate  A montagem dos parafusos requer três Mates de forma a que o conjunto fique totalmente definido, por exemplo: 1. @2009 JST/JOF Concentricidade: entre a face cilíndrica do parafuso e a face cilíndrica do furo da placa. CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 24 Outras Relações de Mate 2. @2009 JST/JOF Coincidência: entre a face circular posterior da cabeça do parafuso e face anterior da placa. CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 25 Outras Relações de Mate 3. Paralelismo: entre a face superior da placa e uma face da ranhura da cabeça do parafuso.  O conjunto está agora totalmente definido. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 26 Outras Relações de Mate  Este novo exemplo requer três Mates de forma a ficar totalmente definido, por exemplo: 1. Coincidência: entre a face inferior do interior da caixa e a face inferior do outro componente. Faces @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 27 Outras Relações de Mate 2. Coincidência: entre a face do fundo do interior da caixa e a face posterior do outro componente. Face interna posterior Faces @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 28 Outras Relações de Mate 3. Distância: entre a face esquerda do interior da caixa e a face esquerda do outro componente. Faces @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 29 Array Local de um Componente  Um array local de um componente é um array de componentes num conjunto.  O array local de um componente copia o componente semente (Seed).  Tal array elimina a necessidade de adicionar e montar individualmente cada elemento do array. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 30 Criar um Array Local de um Componente: 1. Clicar em Component Pattern 2. 3. 4. 5. no menu Insert; Clicar em Linear Comp. Pattern; Seleccionar arestas para definir as direcções de repetição; Especificar o espaçamento; Especificar o número de itens; @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 31 Criar um Array Local de um Componente: 6. Seleccionar o componente semente (Seed Component); 7. Clicar V para validar ou x para anular. @2009 JST/JOF CFAC: Introdução ao SolidWorks (III): Fundamentos para Conjuntos 32